É vendo filmes como esse que você percebe que gastou seu dinheiro de forma errada. Invasão de Privacidade é só mais uma coisa que você acha que já viu antes, só que contada de um jeitinho diferente e embolado em um pacote de reviravoltas explosivas.

Pierce Brosnan foi colocado de maneira desastrosa no papel de Mike Ryans, mesmo que eficiente em pouquíssimos aspectos, como se sua interpretação superficial fosse salvar um roteiro já mastigado muito pelo público antes, contudo, não serei cruel e afirma que ele não é nenhum pouco cativante.

O filme já começa com um homem de negócios, interpretado por Brosnan, rico que possui um relacionamento profissional conturbado em seu local de trabalho com um rapaz, interpretado amadoramente por James Frecheville, que logo passa assediar sua filha e usar suas habilidades em informática e tecnologia para ameaçar a vida do protagonista e do futuro da empresa que poderá falir.

Até aí tudo bem, o primeiro ato parece muito promissor, embora pouco original. Mas tudo vai se tornando a cada vez mais em um filme muito previsível.

Invasão de Privacidade (I.T. no original), foi dirigido por John Moore, que sabe fazer bem filmes de ação com “Duro de Matar: Um Bom Dia Para Morrer” e outros, mostrando sua habilidade com filmes do gênero, contudo ora são refilmagens desnecessárias, ora são roteiros afundados. Moore insistiu em estabelecer uma narrativa lógica pouco envolvente, desperdiçando momentos demais em que se poderia aprofundar mais em diálogos intrigantes sobre o tema. Contudo tudo o que é entregue é algo recontado onde não devemos colocar a culpa somente em Moore. Apesar de toda adrenalina o roteiro ficou por conta de William Wisher Jr. e Daniel Kay que já surpreenderam anteriormente, mas parece estarem limitados agora.

O que te resta fazer quando você simplesmente acredita que não será surpreendido e o final é só mais uma coisa que você já viu e sabe o que acontecerá? Será que este é o momento de levantar e sair da sala de cinema? Ou será que compensa sentar e esperar pra compensar o que gastou? Tá aí um dilema enorme.

O filme também não demonstra em momento algum estar preocupado em estabelecer um arco narrativo bom, fica perdendo tempo no roteiro em partes que você não está interessados em ver deixando o resto frio e mecânico demais. O bom mesmo do filme são disputas acerca da tecnologia e do poder dela estar na mão de qualquer um, e dos conflitos familiares acerca do assunto, mas como é de se imaginar, essa parte não foi nem um pouco aprofundada.

É mais um filme de drama e ação com baixa qualidade, nada de novo. Sua produção é tão duvidosa quanto seu roteiro, que fica naquela brincadeira de gato e rato o tempo inteiro, tornando o filme clichê longo demais embora tenha seus pouco 90 minutos.

Sobre os coadjuvantes, queria poder ter visto mais, porém sempre que a narrativa estava preste a mostrar algum potencial cai e voltava pro arco da rixa entre o empresário e o hacker. Se você retirar o personagem Ed Porter, papel de Frecheville, ele até que é bonzinho, já que toda a esquisitice fica por conta do antagonismo mesmo.

A fotografia é boa, e deixa o seu teor psicológico bem evidente, mas é limitada a ambientes fechados demais.

Esse filme não pode se comparar com o de 1993 de mesmo nome, que é medíocre, mas fez sucesso. Para um público que não está habituado com qualidade ou só busca entretenimento, Invasão de Privacidade é funcional, com algumas reviravoltas um tanto quanto interessantes. É o tipo de filme que irá te questionar o motivo de você ter ido vê-lo ao invés do super heróis que está passando na sala de cinema ao lado.

Em conclusão, digo que o filme é fraco e genérico com erros no roteiro e na produção, com pequenas coisas boas que são submergidas pelas ruins, demonstrando os motivos do filme acabar passando em branco no cinema americano. Invasão de Privacidade te força a refletir se deve desistir ou insistir em vê-lo.

[wp-review id=”2100″]


invasao_de_privacidade_poster_oficialData de lançamento: 10 de novembro de 2016 (1h 35min)
Direção: John Moore
Elenco: Pierce Brosnan, Stefanie Scott, Michael Nyqvist e outros
Gêneros: Suspense, Drama
Nacionalidades: Irlanda, França, Dinamarca

Sinopse: Mike Ryan (Pierce Brosnan) é um homem de negócios bem-sucedido, mas que possui um mal relacionamento profissional com um jovem consultor de informática. O rapaz começa a assediar a filha de Mike e passa a usar suas habilidades com a tecnologia para ameaçar os negócios, a família e a vida dele.