Entrevista: Vitor Kley fala sobre sua carreira no ramo musical O Gabriel Lucas - #OGL

O amor pela surgiu desde muito cedo, e com somente 10 anos de idade ele deu início à suas próprias composições. Hoje, aos 22 anos, Vitor já cruzou o Brasil de norte a sul e leste a oeste, realizando seu show em diversos estados como Ceará, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo, , Paraná, além de seus estados de residência e nascimento – Santa Catarina e Rio Grande do Sul, respectivamente – e ainda shows realizados na Argentina e no Uruguai.

O músico já possui dois CDs independente lançados: Eclipse Solar (2009) com a produção de Déio Tambasco e Luz a Brilhar (2013), produzido por Armandinho, considerado seu padrinho , onde teve a oportunidade de viajar junto a ele durante três anos, fazendo aberturas e participações em shows.

Entrevista: Vitor Kley fala sobre sua carreira no ramo musical O Gabriel Lucas - #OGL

Somente em 2016, ele foi contratado pelo o Midas Music, do consagrado produtor , e com ele Vitor lança seu mais recente trabalho, o primeiro EP da carreira. Com uma nova ‘cara’ e com sete autorais, o EP inclui o hit ‘Dois Amores’, além da sua nova música de trabalho ‘Armas A Nosso Favor’.

E nossa equipe O Gabriel Lucas, conversou com Vitor Kley sobre toda essa repercussão no ramo musical.

1. Conte-nos como você deu início à sua carreira musical.

Minha paixão pela música começou logo cedo. Minha família (por parte de mãe) tem uma veia musical muito forte. Aprendi a tocar violão com 9 anos e dali pra frente não soltei mais o instrumento. Larguei os outros brinquedos e só me dediquei à musica. Eu não sempre sonhei, mas quando as coisas começaram a dar certo, quando eu tinha por volta de 12 anos, eu comecei a levar a musica mais a serio, então naturalmente as coisas começaram a acontecer de verdade.

2. Notamos que algumas de suas músicas envolve uma segunda pessoa, um visível amor. Essas composições tem algum toque de verdade de tais experiências pessoais? Se sim, quais músicas?

É impossível não colocar minhas experiências e sentimentos nas letras.   “A Noite Cai”, “Onde Você Está”, “Dois Amores”, “Avião de Papel”.

3. Quais são suas influências no ramo musical, atualmente?

Oasis, Cazuza/Barão Vermelho, Ed Sheeran, Bruno Mars, Coldplay, John Mayer, The Black Keys, Phillip Phillips. Eu acredito que todos esses artistas tenham uma pegada pop, mas todos carregam sua essência, e essa é uma das coisas que mais valorizo.

4. Como surgiu a ideia de compor a canção “Armas a Nosso Favor”?

Foi um amigo que disse a frase “hoje em dia a gente não sabe quem é que tá do nosso lado” e a partir dai eu comecei a perceber que essa frase se encaixa em vários assuntos, como social e no lado pessoal das pessoas, então comecei a fazer meu próprio desabafo, já o refrão da música é a resposta para o meu desabafo. Acredito que nós temos as ferramentas para trazer o bem para as pessoas, basta você querer.

5. No álbum Eclipse Solar, há músicas que foram compostas quando você tinha somente 14 anos. E agora, sendo um pouco mais velho, você nota alguma mudança na escrita durante esse processo de amadurecimento da fase adolescente?

Noto muita diferença. Eram outros tempos, eu tinha outra cabeça e estava vivendo outra fase. Quando a gente cresce, tudo cresce junto com a gente. Tanto as composições, quanto a musicalidade amadureceram junto comigo.

6. Qual é a sua tática para compor uma música? (ex: É preciso estar em um lugar calmo..?)

Não existe uma fórmula, as vezes eu começo pela levada do violão, como posso estar andando na rua e a frase vir na minha cabeça. O que importa é estar atento e ligado para não deixar a inspiração ir embora, mas normalmente eu consigo escrever quando eu estou sozinho com o violão e o caderno.

7. Qual tarefa ou projeto você considera sua mais significativa marca na carreira até agora?

Uma coisa só é impossível dizer, mas estar em contato com o meu público diariamente, fazer shows e músicas para eles é o que faz a diferença.

8. Sabemos que você teve que sair de sua cidade e se mudar para São Paulo, para dar um grande avanço na sua carreira profissional. Como foi sua adaptação na cidade grande, e ter que lidar com a distância dos parentes/amigos?

A gente tem que abrir mão de algumas coisas para correr atrás dos nossos sonhos, eu estou me sentindo muito bem em São Paulo, já moro aqui há quase 2 anos e como estou direto na estrada, sempre acabo passando em casa para ver a galera.

9. Qual música do mais recente álbum, você gosta de cantar?

Gosto muito de cantar “Onde Você Está”.

Agora responda a primeira coisa que vier em mente:

  • Música para você é? Vida
  • Um vício? Chocolate
  • Um sonho? Indonésia
  • Um momento especial que marcou sua história no ramo musical? Todo dia tenho momentos especiais, quando recebo as mensagens de carinho da galera que curte meu sonho.

Para saber mais sobre ele, agenda de shows e músicas, acesse: www.vitorkley.com.br