Com previsão de estréia em 11/01/18, assistimos ao filme Lou a convite da Cineart Filmes.

O que dizer uma menina que, num em que as mulheres deviam apenas obedecer aos homens, começa a contestar as palavras do padre/pastor no dia de sua crisma? (com a igreja cheia)

Sua mãe a havia retirado de casa à força para participar da cerimônia, e ela decide afrontar a todos por sua falta de lógica.

Não confirmou sua fé e crença, e começou a ser odiada pela maioria dos seus conhecidos.

Filme: Lou O Gabriel Lucas - #OGL

A partir desse momento, sua vida passa a ser uma sucessão de todo tipo de desencontro.

Ela não queria se casar. Primeira afronta à sociedade. Queria estudar e ensinar.

E além de tudo, queria escrever livros. Para conseguir ser publicada pela primeira vez, precisou usar um pseudônimo “masculino”, e assim obteve sucesso.

Cinebiografia de Lou Andreas-Salomé

Nascida em São Petesburgo , Rússia, ela viveu em diversos locais, sempre trabalhando com suas leituras e escritos.

Conviveu com homens brilhantes de seu tempo : Friedrich Nietzsche, Rainer Maria Rilke, Freud , Paul Rée, seja como amiga, amante ou companheira de troca de idéias e pensamentos.

O sua vida já como uma senhora reclusa, quando deixa de atender pacientes como psicanalista.

Um jovem homem que bate à sua porta para procurar ajuda se mostra uma ferramenta boa para que ela escreva suas memórias.

Ao mesmo tempo que fazem confissões um ao outro, ele obtendo a ajuda que procurava, observam fotos, cartas, escritos, que ela havia guardado em seu escritório.

A acompanhar tudo isso, uma ajudante ressabiada, curiosa, e bastante cuidadosa com a sua saúde.

É um exemplo de mulher não por ser feminista antes do tempo em que a palavra passou a existir. Mas pela coragem de enfrentar tudo e todos em nome daquilo em que acreditava. Filme: Lou O Gabriel Lucas - #OGL

Podemos observar que foi atraente e sedutora, mesmo que seduzir não fosse seu objetivo ao manter relacionamentos com os homens. Tinha senso de humor, perspicácia, curiosidade.

Foi uma mulher um pouco fora de seu tempo. Mas sempre devemos agradecer essas pessoas pela sua ousadia, para que um pouco do ser como é hoje sofreram um pouco em seu tempo e lugar.

Para quem tem a oportunidade de aprender sobre ela e sua história, é um presente ver um filme como esse.

Filme: Lou O Gabriel Lucas - #OGL

Apesar de nos entristecermos em alguns momentos, especialmente nos desencontros afetivos, percebemos que algum sacrifício é necessário quando se pensa na evolução.

Ela mesma evoluiu como pensadora e influenciadora, e o mundo evoluiu junto.

Um filme muito sensível, belo, e gostoso de se ver.