Em 2014 a fez um audaciosa aposta ao investir em Guardiões da Galáxia, tudo porque além dos personagens fazerem parte do segundo escalão da casa, tinha no elenco principal um guaxinim maluco e extremamente armado e uma árvore falante.

O foi um sucesso, conquistando a quinta maior arrecadação do Universo Cinematográfico da Marvel, faturando um total de US$ 773 milhões mundialmente.

O filme mostrou um padrão de qualidade espetacular e superou todas as expectativas, os personagens se tornaram verdadeiros fenômenos e a espera pelo segundo filme empolgante.

O Guardiões da Galáxia Vol. 2 chega aos cinemas trazendo histórias completas de cada um dos personagens, nos deixando mais próximos deles e fazendo com que conheçamos melhor a família formada no ultimo longa.

As narrativas sempre giram em torno de fatos pessoais de cada um, tudo com muito humor, ação, cor, nostalgia e sentimentalismo o que deixa claro que James Gunn (diretor e roteirista), está preparando o terreno para o tão esperado Guerra Infinita.

O grande tema de Guardiões da Galáxia Vol. 2 e a relação entre pais e filhos e o núcleo de tudo isso é Peter Quil (Chris Pratt) e Ego (Kurt Russell) onde traumas da infância são destrinchados, deixando claro que ficarão para sempre, trazendo a tona até mesmos as referências a David Hasselhoff.

A que é um dos elementos principais da trama, mantém o mesmo padrão do primeiro longa, empolgante e ao mesmo tempo nostálgico, vem com mais importância marcando narrativas de ligação entre Peter Quil e seu pai como Brandy You’re a Fine Girl, do Looking Glass.

GUARDIÕES DA GALÁXIA VOL. 2 - Crítica O Gabriel Lucas - #OGL

Foto: Copyright Marvel Studios 2017

A natureza de Ego é apresentada a Peter Quil ao som de My Sweet Lor, do Beatle George Harrison e Father and Son, de Cat Stevens marca uma das cenas mais emocionantes do filme.

Assim como a trilha sonora escolhida, podemos perceber que tudo no filme faz todo o sentido e tem conexão, até mesmo as piadas mais bobas são necessárias para construção do longa.

Gamora (Zoe Saldana) e Nebulosa (Karen Gillan) também tem sua relação aprofundada na trama, fazendo com que a presença de Thanos seja lembrada constantemente, mesmo sem ter aparecido formalmente no longa.

Guardiões da Galáxia Vol. 2 mostra claramente que agora eles são uma família e precisam apreender a conviver com as diferenças, enquanto no primeiro longa o foco foi a formação de um grupo.

Por isso a relação entre os personagens e solidificada deixando transparecer que algo maior está por vir e que isso faz toda a diferença.

Visualmente falando o filme é perfeito e consegue trazer para cada cena apresentada a devida importância que merece.

Em uma das primeiras cenas Ayesha, a alta sacerdotisa dos engenheiros genéticos de Sovereign, aparece sentada em um trono dourado onde sua roupa também dourada se fundi ao trono trazendo um visual de superioridade.

GUARDIÕES DA GALÁXIA VOL. 2 - Crítica O Gabriel Lucas - #OGL

Foto: Copyright Marvel Studios 2017

Já a nave de Ego é moderna e futurista o que transparece que ele é um ser a frente do seu tempo.

E o visual geral de Guardiões da Galáxia Vol. 2 é muito colorido, e as cores são berrantes, o que nos remete aos quadrinhos e deixa o longa muito gostoso de ver.

Logo nas cenas iniciais de créditos de abertura, o longa já mostra que será muito divertido e extremamente empolgante, onde o grupo que é contratado por Soberanos, enfrenta uma criatura intergaláctica, horrenda e perigosa, com cenas de muita ação, humor e baby Groot dançando.

GUARDIÕES DA GALÁXIA VOL. 2 - Crítica O Gabriel Lucas - #OGL

Foto: Copyright Marvel Studios 2017

E visível o quanto o elenco possui uma imensa sincronia, seja em cenas de humor, drama ou ação e posso estender isso aos novatos dentro da trama como Sylvestre Stallone no papel de Stakar Ogord, que serviu como uma luva, Kurt Russel no papel de Ego, que esteve espetacular, Pom Klementieff no papel de  Mantis, que deu ao personagem toda a inocência que ele precisava, Elizabeth Dedicki no papel de Ayesha, numa atuação certeira e dentro da medida que o personagem pedia e não poderia deixar de citar Stan Lee que fez uma especial participação especial.

GUARDIÕES DA GALÁXIA VOL. 2 - Crítica O Gabriel Lucas - #OGL

Foto: Copyright Marvel Studios 2017

Com trilha sonora perfeita, performances dos atores excelentes, ótimos efeitos visuais, com doses de referencias a produções como Cheers, Mary Poppins e A Super Máquina, com maravilhosos efeitos visuais, além de elementos da cultura pop como David Hasselhoff e Pac Man, Guardiões da Galáxia Vol. 2 é um dos mais divertidos filmes da Marvel, você sai do cinema completamente satisfeito.

TRAILER

 

Dica de amiga; só saia do cinema após todos os créditos passarem, o filme possui várias cenas extras durante e após os créditos.

Aqui no blog você também pode conferir tudo sobre A Terra Precisa de Guardiões Como Esses, o primeiro Guardiões da Galaxia.