Emoção e adrenalina são itens essenciais para quem adora esportes radicais. E um deles que engloba tudo isso e ainda possibilita conhecer lugares incríveis e belas vistas é o head down, uma modalidade de paraquedismo. Se você nunca ouviu falar e está a procura de um novo hobby para trazer aventura aos seus fins de semana, ou até mesmo atividades para colocar seu corpo para mexer, continue lendo e descubra mais sobre ele – e também confira ótimas dicas de onde praticar!

Head down: saiba o que é e onde praticar o esporte O Gabriel Lucas - #OGL

A origem do head down

Head down é uma modalidade de queda livre que, por sua vez, faz parte de uma das vertentes mais modernas do paraquedismo: o freefly (voo livre, em uma tradução livre), criado em 1991 nos Estados Unidos. A principal característica desse tipo de salto é que o praticante tem liberdade no ar para executar manobras e saltar em diferentes posições, inclusive de forma tridimensional (não apenas se deslocando em queda para baixo, mas também para os lados).

Portanto, a principal característica do freefly é, como o nome indica, essa liberdade de escolha e movimentação do praticante, que pode inventar, combinar e optar por diversas posições durante o salto – o limite fica por conta apenas da imaginação e da perícia de cada um. E entre essas posições tão utilizadas, uma das principais é justamente o head down, em que, você adivinhou, o paraquedista pula de cabeça para baixo em direção ao solo!

O head down é praticado em um tipo específico de formação feita por um grupo de saltadores no ar, que formam uma figura (com todos de cabeça para baixo) enquanto descem em queda livre. Essa é uma das modalidades mais radicais – e também perigosas -, já que a velocidade do salto pode chegar a até 400 Km/h.

Devido a essas diferenças, a prática desse modo de saltar exige maior habilidade, cuidado e também o de técnicas extras, como maior conhecimento sobre os efeitos da velocidade e da aproximação entre os paraquedistas durante a queda.

3 locais para praticar Head Down e fazer desse esporte um lifestyle

Agora que você já sabe como o head down pode ser aquela dose de adrenalina e aventura que está faltando nos seus esportes radicais, que tal conhecer alguns lugares perfeitos para a prática dessa modalidade? Logo abaixo você conhece alguns que ficam aqui mesmo no Brasil! Já imaginou se você se apaixona por esse esporte e faz dele o seu lifestyle?

Boituva/SP

 

 

Principal ponto no para a prática do salto de paraquedas e referência , a cidade abriga há 34 anos o Centro de Paraquedismo. Boituva se desenvolveu bastante para abrigar os praticantes dessa modalidade: conta com ótima infraestrutura de lojas de equipamento, além de ter 16 escolas de paraquedismo e aviões disponíveis para salto durante praticamente todo o dia.

Por isso, costuma abrigar competições e ser palco de grandes feitos, como a quebra do Recorde Sul-Americano de Head Down, alcançado por Humberto Siqueira Nogueira e toda a equipe Flying Around em 2016.

 

Torres/RS

 

Mais conhecida por seu de balonismo, a cidade no litoral do Rio Grande do Sul também é um destino muito popular entre os paraquedistas; tanto que ela abrigou o primeiro encontro Encontro Sul-Brasileiro de Paraquedismo de Saltos Noturnos, em 2011. E o melhor é que, além de praticar o Head Down, você pode pegar uma praia em Torres.

 

João Pessoa/PB

 

O Aeroclube da Paraíba fica em João Pessoa, então só isso já garante um ambiente propício para a prática do Head Down com segurança e estrutura. Além disso, a cidade possui uma das maiores e melhores áreas de paraquedismo do Brasil, com 300.000 m², e condições meteorológicas e geográficas praticamente perfeitas. Após saltar, você ainda pode dar uma passada pelas praias de Tambaú, Cabo Branco e Bessa; que tal?

 

Uma das modalidades mais desafiadoras e empolgantes do paraquedismo freefly, o Head Down é garantia de muita adrenalina e emoção para quem ama esportes radicais. Você pode se organizar financeiramente e fazer um tour por todas as cidades ideias para praticar esse esporte.  E o melhor é que, como você viu, não faltam lugares para praticar a atividade aqui mesmo no Brasil!