Depois de duas versões anteriores que não terminaram muito bem e de uma participação especial empolgante em Capitão América: Guerra Civil a decide trazer um dos heróis mais queridos de volta às raízes, recheando o humor escapista e trama suburbana.

Quase um ano após o ocorrido em Guerra Civil Peter Parker volta ao dia a dia de sua cidade natal na espera de ser convocado formalmente por Tony Stark a fazer parte de um novo time dos Vingadores, no entanto ele tem que equilibrar seu cotidiano de adolescente de ensino médio junto com a puxada rotina como homem-aranha lutando contra pequenos criminosos de Nova York.

A direção fica por conta de Jon Watts, que fez dois anteriores regulares, e conseguiu imprimir sua fórmula genérica, mas bastante nostálgica em um roteiro sem furos bem costurados pelo o que o público já conhece do homem-aranha, então esqueça mais uma história de origem de herói, graças a Deus, quem aí não conhece como Peter Parker consegue seus poderes?!

Tom Holland está novamente incrível tendo um espaço muito considerável para desenvolver sua personalidade e carisma na tela. Existem muitos que gostam de Tobey Maguire, e que ele sempre será o homem-aranha, contudo existem outros poucos que preferem a atuação galãtinesca Andrew Garfield, porém me arrisco a dizer que Holland é o meu verdadeiro Peter Parker, pois ele é quem mais passa a cara de adolescente perdido e confuso com as emoções ao mesmo que brincalhão sarcástico dando várias bolas fora, coisa que os anteriores não sabiam como equilibrar a dose com maestria.

Se existir algum filme que menos deixa parecer que é um filme Marvel esse com certeza não é Homem-Aranha: De Volta ao Lar, pois é o filme com a maior marca registrada da produtora nos últimos anos, é o filme direcionado para quem eles sabem mais agradar, o público infantil. É um filme que apesar de ter algumas falhas e não ser o melhor o público vai ter gostado de ter ido assistir.

Apesar de Holland ofuscar qualquer coadjuvante tenho que dar menção honrosa ao engraçadíssimo Jacob Batalon, e não esquecer do show de interpretação vilanesca que estava faltando para o brilhante Michael Keaton, com motivações concretas que passam um certo de medo e receio quando o vê em tela, mesmo aparecendo muito menos do que realmente merecia. É aquele ditado, quando a Marvel erra em um vilão ele enche o saco desde o início, quando ela acerta ele tem pouco tempo em cenas.

Agora tanto as personagens da Zendaya e da Laura Harrier nos faz querer ver mais de uma continuação onde a relação das duas para com Peter fique mais evidente e desenvolvida, ambas quebram estereótipos femininos o tempo inteiro, e isso me dá um orgulho enorme, já que não é do feitio da Marvel arriscar demais, e por esse motivo talvez, talvez não a vimos mais agir em De Volta Ao Lar, quem sabe no próximo.

Apesar de ficar muito acima do muro com os atores, sem saber se amei demais ou se não gostei, minha maior decepção foi com Tony Stark, mesmo Robert Downey Jr. sendo fantástico no papel nos dando as cenas mais engraçadas ao mesmo tempo em que desenvolve o conflito interno de Peter, ele não passa ainda novo do Homem de Ferro, ainda é aquele milionário fodão que já mostrou em seus filmes solos o melhor que tinha para oferecer. É triste porque fora as cenas cômicas e a ação leve mostra que o personagem está chegando ao fim.

A parte que com certeza todos vão gostar, sem dar nenhum tipo de spoiler, é as cenas com eater eggs, parece que os produtores aprenderam direitinho com Deadpool em extrair o máximo do conhecimento do público sobre a cultura do gênero. Além das cenas de ações organizadas sem muita bagunça visual deixada por aquelas lutas apocalípticas cansativas, mesmo que a última cena caia no CGI bom, mas expositivo e excessivo. É tudo muito bem montado e organizado, mesmo que não tenha nada de tão surpreendente que te faça lembrar daqui alguns anos, e isso perde para os filmes anteriores do aranha ou da própria Marvel, que tem cenas memoráveis de ação.

A e a fotografia apesar de parecer promissoras passam totalmente despercebidas, e nesse aspecto parece que o que a DC fez em Mulher Maravilha dificultou para qualquer outro filme do gênero que for lançado lançando o filmes de heróis em outro patamar superior em parâmetros técnicos, a Marvel ainda tem muito trabalho pela frente se quiser continuar na frente, porque esse novo homem-aranha mesmo bom não surpreende em nada como a DC fez recentemente.

Para aqueles que estão curiosos não percam o filme, a Marvel colocou o aranha de volta no caminho certo, mas também é um filme que dá para esperar sair em DVD tranquilamente sem precisar correr pro cinema, mesmo havendo uma das cenas pós-créditos fenomenal para a continuação do universo.

Critica escrita por Gabriel Mariano