Uma cadeira giratória, óculos especiais e um fone de ouvido. É o que basta para mergulhar numa jornada disruptiva faz o espectador sentir parte do próprio filme e, assim, transformar por completo a maneira de acompanhar e se relacionar com a produçao cinematográfica.

A nova solução de da Quanta DGT em parceria com a Samhoud Media está sendo apresentada ao mercado cinematográfico na Expocine entre os dias 27 e 29 de setembro na capital paulista, e promete abrir caminho para cinemas e outros empreendimentos oferecerem essa opção de ao seu público.

A empresa conta, no momento, com um catálogo de 50 filmes diferentes para serem escolhidos pelo usuário. Dentre as experiências oferecidas na Expocine, é possível imergir em uma apresentação do . Ao girar a cadeira, o espectador acompanha a apresentação por ângulos e perspectivas diferentes e consegue olhar no fundo dos olhos dos artistas. É algo que, realmente, impressiona.

Cada filme tem duração média de 7 a 10 minutos e é recomendado que se assista no máximo a 30 minutos dessas produções envolvendo a realidade virtual.Nova solução de realidade virtual traz espectador para dentro do filme O Gabriel Lucas - #OGL

“A ideia é que a experiência comece para todos, sendo que cada um tenha um pacote diferenciado. O cliente entra na sala, visualiza os temas e faz sua escolha”, explica Tieres Tavares, sócio-diretor da Quanta DGT.

A média do ticket aplicado internacionalmente é de € 10,00. Há títulos de diversos gêneros e cada espectador escolhe o que quer ver, a sessão só começa quando todos escolhem o conteúdo.

O conteúdo segue a narrativa de cinema e por ora não há conteúdos interativos ou games, mas a plataforma já estuda maneiras para implantá-los futuramente.

No , já está prevista a abertura de cinco salas espalhadas pelas regiões Sudeste, Nordeste e Sul do Brasil. Por questões contratuais e de negociação, nomes ainda não podem ser revelados.

A Quanta DGT pertence ao grupo formado por diversas empresas (Estúdios Quanta, Quanta DGT, Quanta Post, Telem e Hollywood Store), além de ser a maior integradora de VPF no Brasil com mais de mil salas digitalizadas.

Já a Samhoud Media, que tem sede em Amsterdã, já levou a experiência de virtual para diversas regiões, com instalações na Finlândia, Romênia e China. A pretensão é chegar a 40 cinemas no próximo ano. Rogier Gerritsen, do marketing e executivo de vendas esteve presente representando a empresa.