O livro da imitação e do esquecimento é o quarto romance do autor, que foi premiado no Jabuti 2016 por Bazar Paraná

Para os leitores apaixonados pela boa literatura, o escritor Luis S. Krausz – premiado no Jabuti 2016 por Bazar Paraná – apresenta seu quarto romance: O livro da imitação e do esquecimento (Benvirá, R$ 39,90).

O enredo gira em torno do reservado e obstinado professor Manfred Braunfels, um historiador alemão radicado em São Paulo. Professor na Universidade de São Paulo, ele está empenhado há anos em uma pesquisa a respeito da vida dos escravos na Palestina sob o domínio romano. Ele quer escrever uma obra sobre o assunto que se torne consagrada na área. Porém, seu maior temor é que o livro, depois de pronto, acabe perdido nas prateleiras das livrarias.

Assim, em meio a seus estudos, o professor Braunfels faz inúmeras digressões a respeito da diferença entre as obras que se tornam clássicas e as que acabam caindo no esquecimento. Ele até questiona: “Que diferença existe entre os livros que foram escritos e esquecidos e os livros que não foram escritos?”. O que deve conter um livro para que perdure ao longo dos tempos?

Misturando memórias e tempo presente, O livro da imitação e do esquecimento traz um retrato único da mente ao mesmo tempo caótica e ordenada de um fascinante protagonista.

SOBRE O AUTOR

Luis S. Krausz nasceu em São Paulo, em 1961. Estudou Letras Clássicas e Letras Hebraicas na Universidade Columbia e na Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, e também na Universidade de Zurique, além de ter um doutorado pela Universidade de São Paulo, onde é professor de Literatura Hebraica e Judaica. É autor de Desterro: memórias em ruínas, Deserto (vencedor do 2º Prêmio Benvirá de Literatura, em 2015) e de Bazar Paraná (2º colocado no Prêmio Jabuti, em 2016).

O Livro Da Imitação E Do Esquecimento Book Cover O Livro Da Imitação E Do Esquecimento
Krausz, Luis S.
Benvirá
328 páginas

O Prof. Manfred Braunfels é um homem reservado e obstinado que há anos se dedica a uma pesquisa sobre a vida dos escravos na Palestina sob o domínio romano. Ele pretende escrever uma obra sobre o assunto, mas seu maior temor é que ela acabe caindo no esquecimento. O que ele deseja, na verdade, é que ela se torne um clássico. Mas qual é a explicação para livros que perduram ao longo dos tempos e livros que somem em meio a outras publicações? Em seu quarto romance, o premiado escritor Luis S. Krausz mistura memórias e tempo presente, compondo um retrato único da mente ao mesmo tempo caótica e ordenada de um fascinante protagonista.