O Rei do é um musical cinebiográfico do apresentador P. T. Barnum (interpretado por Hugh Jackman), quem criou o que ele humildemente chamava “o maior show da Terra”, que é, na verdade, o circo como conhecemos hoje.

O Rei do Show, vale a pena? O Gabriel Lucas - #OGL

O longa se passa na Nova York do século XIX, mas não deixa de ser contemporâneo com sua e questões sociais bastante atuais.

A trilha sonora, produzida pela mesma equipe de La la land, é a essência do filme, numa mistura harmoniosa das originais entre si como “This is me”.

Os protagonistas já tem histórico no meio dos musicais então a expectativa sobre as famosas vozes cresceu, mas eles não decepcionaram. O #OGL criou uma playlist no Spotify com todas as músicas. Te desafio a não sair da sessão cantando.

O Rei do Show, vale a pena? O Gabriel Lucas - #OGL

P. T. Barnum tirou da infância pobre a que precisava para crescer. Filho de um alfaiate, o apresentador usava e abusava do humor para trazer cor a sua vida, mesmo em meio a grandes turbulências não deixou de sonhar. Seu ar caloroso fazia com que muitas pessoas caíssem em sua lábia, e ele era esperto demais para não tirar vantagem disso.

Criou um show onde apresentava coisas consideradas bizarras na época, como a mulher barbada, o  anão, negros, uma albina, o “homem mais alto do mundo”, o “homem mais gordo do mundo” (uso as aspas porque esses títulos não eram oficiais), um homem coberto de tatuagens, entre muitos outros. O mais bizarro é acreditar que naquela época essas pessoas fossem consideradas “bizarras”.

O show não foi muito bem aceito pela burguesia, haviam até pessoas mais pobres que o condenavam e a crítica não o favorecia, mas muitas pessoas não aguentavam de curiosidade e esgotavam os ingressos da bilheteria do circo. Dessa forma Barnum, apesar de mal visto pela sociedade, ficou milionário, porém ainda era inferiorizado pelas outras pessoas, assim como quando era pobre.

A visão da alta sociedade com relação ao show é uma questão bastante contemporânea, pois ainda hoje temos que lidar com a intolerância social com relação às mesmas diferenças e algumas outras igualmente banais, é incrível perceber que dois séculos depois um negro ainda é mal visto, ou um anão, ou qualquer pessoa que possa ser considerado “diferente” pelo grupo mais favorecido. Dois séculos depois!

O Rei do Show, vale a pena? O Gabriel Lucas - #OGL

O Rei do Show estreia hoje, dia 25 de dezembro. Sim, no Natal! E tem classificação Livre, então vale a pena levar a família toda para aproveitar a sessão!