Cena do Filme

Após um tempinho sem postar resenhas por aqui, voltei! E hoje vou falar do livro “O Doador de Memórias” de Lois Lowry. Primeiro livro de uma série distópica, com mais de 11 Milhões de livros vendidos em todo o mundo, também já tem sua adaptação cinematográfica.

Capa e Sinopse via Skoob
Título: O Doador de Memórias
Título Original: The Giver
ISBN: 9788580412994
Ano: 2014 / Páginas: 208
Editora: Arqueiro (+)
SINOPSE: Em O doador de memórias, a premiada autora Lois Lowry constrói um mundo aparentemente ideal onde não existem dor, desigualdade, guerra nem qualquer tipo de conflito. Por outro lado, também não há amor, desejo ou alegria genuína.
  Os habitantes de uma pequena comunidade, satisfeitos com a vida ordenada, pacata e estável que levam, conhecem apenas o presente o passado e todas as lembranças do antigo mundo lhes foram apagados da mente. 
  Um único indivíduo é encarregado de ser o guardião dessas memórias, com o objetivo de proteger o povo do sofrimento e, ao mesmo tempo, ter a sabedoria necessária para orientar os dirigentes da sociedade em momentos difíceis. 
  Aos 12 anos, idade em que toda criança é designada à profissão que irá seguir, Jonas recebe a honra de se tornar o próximo guardião. Ele é avisado de que precisará passar por um treinamento difícil, que exigirá coragem, disciplina e muita força, mas não faz ideia de que seu mundo nunca mais será o mesmo.
  Orientado pelo velho Doador, Jonas descobre pouco a pouco o universo extraordinário que lhe fora roubado. Como uma névoa que vai se dissipando, a terrível realidade por trás daquela utopia começa a se revelar.

Como protagonista principal da história, temos Jonas, um jovem que vive em uma comunidade/cidade um pouco tanto pacata, onde ninguém possuí dores, sentimentos intensos, amor, problemas, desigualdades, não existe cor e nem situações conflituosas entre seus habitantes, todos levam a vida ordenada que possuem com muita dedicação e cada um com desempenhando seu papel social da melhor forma possível.
Todos os anos uma cerimônia é realizada para que cada um dos habitantes que completava 12 anos naquele respectivo ano, ser designado a uma profissão na comunidade e encaminhado para seu respectivo treinamento para ser um adulto na sociedade após esse período.

Sua mãe trabalhava com lei, seu pai com crianças no Centro de Criação, onde cuida das mesmas até que estejam prontas para serem entregues aos solicitantes (Como não havia amor na comunidade, os habitantes eram proibidos de sentir prazeres sexuais, para isso existia um remédio que controlava isso. Assim, na mesma Cerimônia dos 12 algumas Garotas eram escolhidas para exercer o cargo de “Mãe”, mas não de mãe biológica, e sim de quem gera o filho e passa para outra pessoa cuidar, que neste caso os Ancião eram responsáveis por escolher quem seria os pais da criança).

Durante a Cerimônia, coisas acontecem e fazem com que Jonas fique preocupado, gerando nele um certo mistério misturado com desconforto com o ocorrido, mas então, descobre que foi cuidadosamente escolhido para receber um cargo de grande honra na sociedade, Jonas acaba de receber o cargo de Recebedor de Memórias. Qual sua função? Basicamente ele é responsável por receber do Doador (Recebedor anterior) e dos habitantes, todas as memórias que foram apagadas de sua sociedade e de acontecimentos antes da época atual e antes de antes, e assim por diante. Mas também era responsável por aconselhar os habitantes quando necessário.

O cargo concedido ao jovem de 12 anos era um dos mais importantes da comunidade já que o mesmo era o único que podia ter acesso a essas memórias e não deveria compartilhá-lo com mais ninguém, o único que sabia o real significado dos sentimentos e tudo o que os demais habitantes fora privado. Seu novo cargo requer isolamento e um preparo não esperado. Mas aos poucos ele vai se acostumando com tudo que já recebeu e está vindo.

Durante os encontros de seu treinamento com um velho, o único Recebedor antes de Jonas, seu atual treinador e Doador de Memórias, e único ser daquela comunidade a saber todo o passado da humanidade, o garoto passa a perceber a extensão de seu poder e aos poucos entender que juntamente as memórias agradáveis também estão as piores delas.

A cada encontro do Jovem a relação Doador/Recebedor se estreita,  dando a ele a possibilidade de se questionar sobre as coisas e fazer incríveis descobertas seguidas de algumas terríveis e assim nivelando umas as outras. Noite de Natal, Neve, Amor, Dor, Fome e Morte, passam a fazer parte de sua nova realidade. Afastando-se assim cada vez mais daquele mundo de mesmices que vivia.

Inconformado ao comparar suas memórias atuais com a vida que leva em sua comunidade, Jonas se vê em conflito com suas próximas decisões, ele precisa escolher se ficará em segurança na mesmice de sua comunidade ou irá arriscar sua própria vida afim de melhor entender suas memórias e até mesmo mudar a ordem e sentido das coisas em sua atual e pacata sociedade.


Apesar da minha demora para postar a resenha e também para lê-lo, o livro é bem pequeno, com poucas páginas e a leitura fluí, comigo foi um pouco demorado porque eu fiquei parando durante as leituras e lendo apenas nas minhas horas vagas, mas ao terminar me sentia tipo: “Como assim, já acabou?”. Mas calma, se você esta pensando que é só um livro fique despreocupados, O Doador de Memórias é somente o primeiro livro de uma Série “O doador” da autora Lois Lowry. O segundo livro dela é A Escolhida, o da foto acima que também recebi em parceria com a Arqueiro e que em breve farei resenha por aqui.

Durante a história temos diversos personagens que aparecem com pouco relevância, como a outra Recebedora que fracassou a dez anos antes de Jonas e Gabe que são de extrema importância para darem sentido a história. Os Pais e Lily sua irmãzinha, Fiona e Asher também são fundamentais para entendermos a história.


O Doador de Memórias virou Adaptação cinematográfica em 2014, caso ainda não tenha assistido ao filme, o trailer se encontra logo abaixo:


Bom, espero que tenham gostado da resenha, volto em breve com mais.

Follow @blogftp