Baseado no livro Tá todo mundo mal, Jout Jout.

Todos nós passamos por crises. Se “bobear” o fato de nós nascermos já é uma . Pessoas como eu e você, de carne e osso, que sentem e tem pensamentos, que tem um cérebro funcionando, corre este risco durante todo o tempo de vida. Você pode negar o quanto quiser, você pode dizer que nunca passou por uma crise, mas você já passou, e não importa sua idade, você ainda deve passar.

De acordo com que vamos crescendo e mais o a nossa volta, é inevitável não pensar demais em algo pelo lado negativo, nós somos pessimistas de natureza, nós sempre pensamos o pior antes de reconhecer que aquilo também tem um lado bom, o que nos causa uma série de transtornos. Um simples problema que poderia ser resolvido tão facilmente como 2+2 acaba se tornando uma grande crise em que nos afundamos.

Do alto dos meus 17 anos, eu ainda não vivi todas as crises, até porque cada idade que se passa já é uma coisa para se pensar. Até acho que podemos intitulá-la de “crise da sensação de estar mais perto da morte a cada ano”. Sim, existe uma crise em torno disso para muitas pessoas, e é perfeitamente normal. É até fascinante pensar o quanto nós somos capazes de criar coisas na nossa cabeça para ficarmos mal.

E acredito que assim como eu, você também já teve a crise de pensar que não vai conseguir passar por aquela crise. Você pensa que uma coisa é o fim do mundo, seja lá o que for, e que aquela é a pior de todas as crises que você já passou, mas não, o universo sempre te surpreendendo e te mostrando, existem outras piores. Cuidado para não entrar num ciclo de crises, se é que você não está em um.

Mas calma, nossa vida é assim mesmo. As vezes tudo o que precisamos é parar, refletir sobre aquela crise e o que te fez entrar nela para início de conversa. Assim como qualquer outro problema, essa coisinha que nossa cabeça formula em torno de algo, serve de lição. Pense que cada crise superada, cada crise que você encontrou uma resposta, é um lance de escada a mais.

Você superou, você conseguiu subir aquilo e chegar ao topo, a solução. Um problema resolvido com você mesmo, mais um passo para se conhecer e se reconhecer, entender sua própria mente. Talvez o fato das crises existirem sirva exclusivamente para isso, para fazermos amizade com nós mesmos e com o que somos. Evoluindo como ser de carne e osso que somos, mantendo nossa razão e nossa emoção em equilíbrio.

Tá todo mundo mal, é verdade. Mas como diz aquele velho ditado “Há males que vêm para o bem”.

Tá todo mundo mal, é verdade. O Gabriel Lucas - #OGL Tá todo mundo mal
Jout, Jout
Crônicas

2016
200

'Do alto de seus 25 anos, Julia Tolezano, mais conhecida como , já passou por todo tipo de crise. De achar que seus peitos eram pequenos demais a não saber que carreira seguir. Em Tá todo mundo mal, ela reuniu as suas “melhores” angústias em textos tão divertidos e inspirados quanto os vídeos de seu canal no YouTube, “Jout Jout, Prazer”.
Família, aparência, inseguranças, relacionamentos amorosos, trabalho, onde morar e o que fazer com os sushis que sobraram no prato são algumas das questões que ela levanta. Além de nos identificarmos, Jout Jout sabe como nos fazer sentir melhor, pois nada como ouvir sobre crises alheias para aliviar as nossas próprias!'