Eu cresci no meio de pessoas preconceituosas e que sempre me criticavam pelo meu jeitinho “gay” de ser! Levei cerca de 18 anos para assumir minha sexualidade, mesmo tendo descoberto a mesma aos 10.

Eu tive muito problema nesses 8-9 anos em que eu estava ainda no “armário”. Mas o problema de não ter me assumido antes foi devido ao preconceito e não . Eu tinha medo do que eu poderia sofrer depois de me assumir, visto que eu já sofria e preconceito mesmo antes de me assumir, visto que eu já tentei suicídio várias vezes neste meio tempo.

Eu sofri bullying minha vida inteira, por ter um jeitinho , por ser diferente dos outros caras, por ser intelectual, por ser o quietinho da sala, por ter mais amigas do que amigos, por ser de família humilde, por não ter conhecido meu pai, por “viajar demais” (Me chamavam de cigano), por ter problema de saúde (Era o problemático e Zé tremedeira), por não poder praticar esportes, por ser o que prestava atenção nas aulas (Escola é local de estudar e não de zoar) e por vários outros motivos.

Eu tive sérios problemas de saúde, eu fiquei doente, eu tive depressão, eu quase cometi suicídio inúmeras vezes, eu já cheguei a me isolar do mundo por meses.

Isso sim é doença. O preconceito é uma doença, a homofobia é uma doença, o Bullying é uma doença.

Em meio a tantos problemas, eu decidi me assumir depois que eu saísse da casa da minha mãe, visto que sofria com problemas dentro e fora de casa devido a meu padrasto e a família dele, como também pelas pessoas da cidade onde eu morava. Em 2016 voltei para a cidade onde nasci e coloquei para fora tudo o que eu sentia. Me assumi através de um em meu canal do Youtube.

Assim como o Bullying e o racismo, a cura gay é apenas uma desculpa que homofóbicos encontraram para tentar esconder o seu preconceito, assim como os religiosos fanáticos e preconceituosos, usam Deus e Bíblia como desculpas esfarrapadas para não se dizerem homofóbicos. Não existe nenhuma cura ou reversão para algo que nunca fomos.

Ninguém vira gay, as pessoas já nascem assim. O que acontece é que demoramos um tempinho para nos descobrirmos, nos aceitarmos e nos encontrarmos.

Assim como qualquer outra pessoa, fomos todos gerados da mesma forma, viemos de pessoas, somos humanos, temos sentimentos, sentimos dor, e tudo mais. Somos todos iguais materialmente falando. A única coisa que muda é a forma de demonstrar uns pelos outros.

Só porque nos relacionamos com pessoas do mesmo sexo, isso não quer dizer que eu seja diferente de você, que o amor que eu sinto pelas pessoas seja um sentimento diferente do amor que você sente.

O amor, é só… O amor…
Love is Love….
Love somewhere Over the Rainbow…
Não julgue, não critique, apenas… Aceite!


O texto acima é minha história de forma resumida, a mesma deveria ser postada da mesma forma no site do Hornet, porém eles modificaram/acrescentaram algumas coisas que eu não coloquei. Eu entrei em contato com a redação e não resolveu nada por isso eu estou postando o original aqui.

Gente, meu apelido é Arapuka com “K” mesmo. E eu não tentei suicídio devido a homofobia e cura gay, mas sim por causa do Bullying e Preconceito devido ao que expliquei ali em cima e no vídeo abaixo.

Outra coisinha, eu me assumi em vídeo sim e não é porque eu me assumi em um vídeo e resolvi abordar mais sobre diversidade e universo LGBT em meu canal ou Blog que eu me aproveito do tema para ter fama, é bem longe disso (antes que tirem impressões precipitadas).